GLOSSÁRIO

fonte Wikipédia (modificado)

API

API, de Application Programming Interface (ou Interface de Programação de Aplicações) é um conjunto de rotinas e padrões estabelecidos por um software para a utilização das suas funcionalidades por programas aplicativos que não querem envolver-se em detalhes da implementação do software, mas apenas usar seus serviços.

De modo geral, a API é composta por uma série de funções acessíveis somente por programação, e que permitem utilizar características do software menos evidentes ao utilizador tradicional.

Mais recentemente o uso de API tem se generalizado nos plugins, acessórios que complementam a funcionalidade de um programa. Os autores do programa principal fornecem uma API específica para que outros autores criem plugins, estendendo as funcionalidades do programa.

Código QR(QR code)

É um código de barras em 2D que pode ser facilmente escaneado usando qualquer celular moderno. Esse código vai ser convertido em uma pedaço de texto (interativo) e/ou um link que o celular identifica e pode acessar uma página da web.

QR code da página Cartografias on line.

Mashups

Um mashup é um website ou uma aplicação web que usa conteúdo de mais de uma fonte para criar um novo serviço completo. O conteúdo usado em mashups é tipicamente código de terceiros através de uma interface pública ou de uma API. Outros métodos de codificação de conteúdo para mashups incluem Web feeds (exemplo: RSS ou Atom), Javascript e widgets que podem ser entendidas como mini aplicações web, disponíveis para serem incorporadas a outros sites.

Assim como os blogs revolucionaram a publicação online, os mashups estão revolucionando o desenvolvimento web possibilitando a qualquer um combinar dados de fontes como o eBayAmazon.comGoogle, Windows Live e Yahoo! de maneiras inovadoras. Uma maior disponibilidade de APIs leves e simples tem possibilitado mashups relativamente simples de projetar. Requerem um conhecimento técnico mínimo e os mashups feitos sob encomenda muitas vezes apresentam inovações que eram consideradas improváveis, combinando uma nova disponibilidade pública de dados e novos caminhos criativos.

Mídia locativa

O fluxo informacional da paisagem comunicacional contemporânea é formado por processos personalizados, nos quais qualquer um pode produzir, armazenar, processar e circular informações sobre formatos e modulações diversas. Desse modo, vemos emergir as mídias “pós-massivas” com a liberação do polo de emissão e da conexão generalizada através de redes telemáticas. Essas novas modificações vêm transformando o espaço urbano e a vida nas grandes cidades. De modo que várias empresas, artistas e ativistas, já vêm utilizando as possibilidades das mídias locativas como forma de marketing, publicidade e controle de produto, criando novas possibilidades de escrita e releitura do espaço urbano.

Assim, novas práticas sócio-comunicacionais surgem, com o início do século XXI, e as referências sociais físicas dão lugar a eventos informacionais dinâmicos, cujo fluxo se dá por redes sem fio e dispositivos móveis.

O termo ‘mídia locativa’ foi cunhado em 2003 por Karlis Kalnins, e é definido por André Lemos como um conjunto de tecnologias e processos info-comunicacionais, cujo conteúdo da informação está diretamente associado a uma localidade.Elas tornam possível a troca de informação móvel, fornecendo dados dinâmicos sobre um determinado ambiente, criando novas possibilidades de espaço urbano e resignificando as cidades. São processos de emissão e recepção de informação digital, a partir de um determinado local, ou de lugares/objetos.

Funcionalidades das mídias locativas:

Realidade móvel aumentada

Conhecido tipo de hiperlinkagem, no qual as informações sobre um determinado local podem ser visualizadas em um dispositivo móvel, aumentando a informação em tempo real e de forma mais específica.

 Mapeamento e monitoramento de movimento

Através de dispositivos móveis, é possível um tipo de mapeamento e monitoramento do espaço urbano, podendo assim se construir um percurso específico.

 Geotags

Uma das suas possibilidades é a localização de lugares em mapas mundiais, já que seu objetivo é agregar informação digital em mapas, que podem ser acessados através de dispositivos móveis.

 Anotações urbanas

Utilizando celulares, palms, etiquetas RFID ou redes bluetooth para indexar mensagens (SMS, vídeo, foto) a lugares, tornam-se possíveis formas de apropriação do espaço urbano a partir de escritas eletrônicas.

OpenStreetMap (OSM) é um projecto colaborativo para criar um mapa livre e editável  o mundo, inspirado por sites como a Wikipedia. Traduzindo para português o nome significa Mapa Aberto de Ruas. Os mapas são criados usando dados de receptores GPS portáteis, fotografias aéreas e outras fontes livres. Tanto as imagens obtidas por processamento dos dados e os dados estão disponíveis sob uma licença Creative Commons Attribution-ShareAlike 2.0. Utilizadores registados podem carregar os históricos dos GPS e editar os dados usando as ferramentas disponíveis.

 PDA

Personal digital assistants (PDAs ou handhelds), assistente pessoal digital ou palmtop, é um computador de dimensões reduzidas (cerca de A6), dotado de grande capacidade computacional, cumprindo as funções de agenda e sistema informático de escritório elementar, com possibilidade de interconexão com um computador pessoal e uma rede informática sem fios — Wi-Fi — para acesso a e-mail e internet.

Os PDAs de hoje possuem grande quantidade de memória e diversos softwares para várias áreas de interesse.Os modelos mais sofisticados possuem modem (para acesso à internet), câmera digital acoplada (para fotos e filmagens), tela colorida, rede sem fio embutida.

VRML 

VRML (Virtual Reality Modeling Language,que significa: Linguagem para Modelagem de Realidade Virtual) é um padrão de formato de arquivo para realidade virtual, utilizado tanto para a internet como para ambientes desktop. Por meio desta linguagem, escrita em modo texto, é possível criar objetos (malhas poligonais) tridimensionais podendo definir cor, transparência, brilho, textura (associando-a a um bitmap). Os objetos podem ser formas básicas, como esferas, cubos, ovóides, hexaedros, cones, cilindros, ou formas criadas pelo próprio programador, como as extrusões.

Além dos objetos, também é possível acrescentar interatividade a estes por meio de sensores, podendo assim deslocá-los de posição, acrescentar luz, produzir um som quando o objeto é clicado ou o avatar simplesmente se aproxima dele, e abrir um arquivo ou página da Web, ou ainda outra página em VRML, quando o objeto é acionado.

WikiMapia

WikiMapia (ou Wikimapia) é um sistema de busca e mapeamento na internet que utiliza imagens de satélite do planeta Terra para identificar os locais mostrados, desde pequenos comércios até cidades inteiras. O serviço se baseia nas imagens de satélite do Google Maps. O sistema wiki é aplicado na forma de localização de lugares, pois qualquer pessoa tem a permissão (sendo registrado) de inserir um local no mapa até mesmo editar os locais já criados.

O WikiMapia foi criado pelos russos Alexandre Koriakine e Evgeniy aveliev, sendo lançado em 24 de maio de 2006, com o slogan Vamos descrever o mundo todo!. Em pouco menos de 3 meses, já havia alcançado o primeiro milhão de locais adicionados.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: